NOTICIAS: Notícias do PROMOB-e

Venda de bicicletas elétricas no país deve chegar a 31 mil em 2018, indica estudo

Projeção elaborada pela Aliança Bike mostra que mercado brasileiro tem potencial de crescimento
Crédito: PROMOB-e/GIZ
Crédito: PROMOB-e/GIZ

Neste ano, serão vendidas cerca de 31 mil bicicletas elétricas no Brasil — número três vezes maior que as vendas registradas em 2016, 10 mil unidades. É o que estima o estudo Projeções e Análise da Demanda por Bicicletas Elétricas no Brasil, elaborado pela Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike) em parceria com a Sidera Consult.

Segundo a pesquisa, as e-bikes representaram aproximadamente 0,25% do total de bicicletas vendidas no país em 2016, fatia ainda pequena, mas que segue em trajetória crescente. “Achamos que até 2022, 2023, conseguimos chegar a quase 7% do market share, o que vai nos levar a um universo de 280 mil bicicletas elétricas vendidas por ano, consolidando um cenário bem diferente”, explica Daniel Guth, coordenador de projetos da Aliança Bike.

Desafios

O potencial do mercado no Brasil é grande, mas há alguns entraves a serem enfrentados para a popularização do veículo, frisa Guth. Um deles é o valor final do produto. “Um dos elementos que compõem o preço alto de uma bicicleta elétrica é o fato de que temos 85% de imposto sobre o custo”, diz. “Se você estimular com carga tributária, há aumento exponencial do acesso, o que vai fazer com que a recuperação desse incentivo volte para o governo positivamente”.

A infraestrutura de ciclovias também deve ser considerada, uma vez que as cidades brasileiras devem oferecer segurança e comodidade para estimular o uso de bicicletas. Outros fatores são a demanda pelos produtos, ainda baixa, e o desenvolvimento de tecnologias utilizadas em componentes que não são fabricados no país, como motores e baterias. O documento traz ainda, para comparação do cenário nacional, os dados dos mercados dos Estados Unidos, Japão e União Europeia.  

Leia também

Comentários (0) Postar comentário ›

Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

Li e aceito os termos da Política de Privacidade.

Usamos o Akismet para a redução de spam. Saiba como seu comentário é processado.